Portraits

retrato

Alguém me disse, recentemente, que os meus olhos brilham quando falo em fotografar. Foi, talvez, um dos maiores elogios que ouvi até hoje – e sinto que é uma paixão para perdurar.

Apesar do olhar meio sofrido deste homem, que estava discretamente a pedir umas moedas na soleira de uma porta, em pleno coração da capital, senti o retorno do brilho. Foi a segunda vez que o encontrei e se deixou retratar. Espero, sinceramente, que haja uma terceira…

Título
Perdido no tempo
Data
Maio, 2016
Local
Lisboa